Participei da peça Habitantes D’Ela fazendo as projeções ao vivo e video mapping durante as apresentações que aconteceram na Casa Cultural Tony Petzhold (de 9 de abril a 1 de maio) e no Instituto Ling (20, 21, 27 e 28 de maio).

Foi um prazer trabalhar com essa equipe talentosa.

Quero deixar um agradecimento especial aos hermanos Leandro Schirmer e Maurício Canterle por darem aquela força ao longo do processo.

habitantes-post[#02de04]

habitantes_flyer_Tony

13267881_1081709185234363_9172998201177740241_n

Assombrada pela ideia de que um implante teria sido feito em seu corpo para monitorá-la, uma mulher se investiga. Desdobrada em outras vozes suas, esta mulher deriva numa polifonia em que se bifurcam e enredam múltiplos destinos para uma aparente paranoia.

O projeto, uma longa pesquisa inspirada numa história real, uniu criação dramatúrgica ao trabalho cênico-corporal, contando com pesquisa de campo com pessoas com esquizofrenia, que, através de atividades e entrevistas, emprestaram ao trabalho muito de sua humanidade.

O espetáculo se vale das linguagens do teatro e da dança, além de contar com a tecnologia de video mapping, um recurso de projeção de vídeo que leva a cena e os expectadores desde a realidade presente da sala de apresentação até o mergulho nos mundos internos da personagem.

A peça tem financiamento da Funarte, Prêmio Myriam Muniz de Montagem Cênica 2014.

Dramaturgia: Maria Luíza Madureira
Direção e atuação: Renata de Lélis
Codireção: Júlia Rodrigues
Direção de movimento: Eduardo Severino
Cenário: Zoé Degani
Trilha sonora original e Desenho de som: Caio Amon
Figurino: Antonio Rabadan
Desenho de Luz: Edu Rabin
Desenvolvimento em vídeo mapping e projeção ao vivo: Fernando Krum
Conceito visual e Projeções: Daniel P. Teixeira e Lucas Rachewsky
Assessoria de Imprensa: Creuza Barreto
Designer visual: André Varela
Voz off: Heitor Schmidt
Execução de figurino: Márcia Gorski
Criação de maquiagem: Juliane Senna
Direção de produção: Renata de Lélis
Produção Executiva: Daniel Gabardo

— with Heitor Schmidt, Fernando Krum, Antonio Rabadan,Eduardo Severino, André Varela, Júlia Rodrigues,Christian Jung, Zoé Degani, Marcia Gorski, Daniel Gabardo, Daniel P. Teixeira, Lucas Rachewsky and Juliane Senna.

Updated: January 26, 2017

O Caio Amon, ganhou Prêmio Açorianos de Teatro de melhor trilha sonora!


Um orgulho participar da festa dos 20 anos da TV-OVO em SM. Eu e o Fernando Codevilla acompanhamos a festa fazendo um video-mapping com imagens de arquivo da tv no Sobrado da Floriano. Mais uma vez um “baita” momento na história da cultura de Santa Maria.
Vida longa Tv Ovo!


Participei do Arduino Day no Usina FabLab, contando alguns projetos que desenvolvi com Arduino e Pure Data. Foi legal conhecer o espaço e os projetos que o pessoal está implementando. Convite do Waldo! Valeu turma!

[Foto: Samuel Biron]

[Foto: Waldo Costa]


No dia 8 de janeiro participei do Espetáculo de Música Instrumental “Memórias Líquidas” no Theatro Treze de Maio (SM), do amigo Luis Bittencourt (a.k.a. Neni), fazendo projeções ao vivo / videomapping.

Foi um grande prazer contribuir com a performance, que utiliza diversos instrumentos como o Waterphonebombo leguero, entre (vários) outros.
cartaz memorias liquidas
O espetáculo contou com participações especiais.

Vale a pena assistir o vídeo da música “Fragmentos de uma estrada desconhecida”, com participação do Daniel Rosa. Em tela cheia. 16 minutos de imersão. :-)



Foto: Rafael de Oliveira.

A seguir uma reportagem do Márcio Grings sobre o evento, no jornal A Razão, de 6 de jan 2016.
Screen Shot 2016-01-06 at 09.42.44

Valeu gente, foi muito legal o processo todo, “buena vibra master”  com essa turma toda!
Abaixo algumas fotos de Dartanhan Figueiredo.

Updated: January 24, 2017

Atualizado o vídeo com a edição final do Rafael Berlezi.


No dia 2 de dezembro participei do programa “Virada Trends” do OCTO, da RBS. O tema foi Coworking e Nômades Digitais, então mostrei o #soap_opera funcionando, falei sobre experiências de ensino de arte e tecnologia E aproveitamos para dar uma (tá bem, mais uma) esculachadinha no Don Lázaro Venturini.
Vão abaixo alguns flagrantes do momento, carinhosamente compilados pela irmandade da orelha em pé (a.k.a #lumabanjo). Gracias especiais à Lu Copetti pela lembrança e pelo fortalecimento :) .

20151207102116

20151207102241


No dia 24 de novembro houve mais uma edição do PechaKucha Night Porto Alegre, dessa vez aconteceu no Galpon. A edição de novembro tratou sobre Cultura Hacker.

pechakucha_poa[#01de12]

Em poucas palavras, a dinâmica do PK é ir “direto ao ponto”. Cada participante dispõe de 20 slides, que passam automaticamente à cada 20 segundos, sem controle sobre a reprodução. 6 minutos e 40 para passar a mensagem, sem interferência do apresentador sobre a apresentação. (vale a pena acessar o site oficial para ter noção do tamanho da rede PK)

Tive a oportunidade de participar ao lado de pessoas muito interessantes apresentando minhas experiências com ensino de arte e tecnologia. Mostrei projetos que desenvolvi e idéias que me inspiram. Foi uma iniciativa muito bacana. Abaixo, algumas das imagens clicadas pela Cristina Gomes (o álbum inteiro está publicado aqui!).

pechakucha_poa[#06de12] crop

Os slides estão aqui! 20 segundos p/ cada!


12189385_1485641735072993_4157052025637336724_o

No final de semana passado aconteceu o Hackathon “A Blast from the Past” na sede da IsoBar em Porto Alegre. Fui convidado a acompanhar e avaliar os projetos como jurado local, junto ao Luiz Siqueira, Leigh Christie e Sean Shelby. Foi uma honra acompanhar tantas idéias interessantes desenvolvidas em 24 horas. Valeu André Trevisani e Chaiane Bitelo pela oportunidade !

Vão abaixo algumas imagens dos projetos desenvolvidos!


No dia 1 de setembro desenvolvemos uma instalação interativa para um encontro da empresa Ecofrotas, no hotel Laghetto Moinhos em Porto Alegre. O trabalho foi feito em parceria com os amigos do Estúdio Nômade. A trilha sonora do evento ficou por conta do Gabriel Cevallos. A montagem do vídeo foi feita pelo Denis Carrion.

Panorâmica do evento.

A instalação foi composta por duas telas independentes com dois conteúdos distintos.

  • Na primeira tela, montamos dois vídeos que representa a beleza da natureza e a beleza construída pelo homem. Os dois vídeos são reproduzidos simultaneamente e estão sincronizados.
    • Dois sensores ultrassônicos medem a posição do usuário com relação ao totem.
      dois-ultrassom
      distancia-sensor
    • Com o sensor #1, o usuário pode controlar a opacidade (transparência) dos vídeos de acordo com a sua posição: quanto mais próximo do totem, mais se vê o vídeo relacionado à natureza.
    • Com o sensor #2, o usuário controla a velocidade de reprodução dos vídeos.
  • Na segunda tela, várias camadas de vídeo são reproduzidas em sequência, representando visualizações de dados. Os movimentos das mãos são capturados usando o hardware Leap Motion.
    leap-mao
    leap-tela

O professor Eric Marke, da Universidade Belas Artes de SP, entrou em contato comigo para pedir mais informações sobre a “caixa.de.musica“, o controlador que apresentamos no Digitalia de 2012 em Salvador.

digitalia-protoboard-10
digitalia-protoboard-09

Eric está redigindo um livro sobre Música Eletrônica Brasileira (MEB) e descreveu o controlador da seguinte forma:

– Fernando Krum
É professor da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) em São Leopoldo, Rio Grande do Sul. Criou um protótipo de um controlador feito a partir de uma caixa de papelão e materiais super acessíveis e recicláveis. Este instrumento musical surgiu quando Fernando ministrou a oficina “Experimentações Artísticas com Arduino” em 2012 . A ideia era aproximar as possibilidades de uso da eletrônica básica para controlar parâmetros de um sintetizador criado no software livre Pure Data (ou, simplesmente, Pd). De forma criativa usou “pregadores” de roupa de madeira que disparam notas de uma oitava musical. Em seguida, foram encapados com papel alumínio e percevejos (pequeno prego de cabeça chata) para forjar os contatos elétricos. Chamado de “Caixa de Música”, é essencialmente um controlador que define os parâmetros que rodam no patch “s_rhodey.pd” do patch RjDj que, basicamente, faz uma síntese do Fender Rhodes.
Obrigado Eric! Ansioso para ver o o trabalho publicado !

Participei de um dos encontros da atividade acadêmica “Contexto em Jogos Digitais” dentro do curso de Jogos Digitais da Unisinos (campus Porto Alegre).

12002080_10153088020053309_8272644237744149372_n11091410_10153088020128309_4827554876364089904_n 11954701_10153088020108309_3428529191293729392_n
Fotos de Eliane Schlemmer.
O professor Fernando Marson me convidou para mostrar alguns dos projetos que desenvolvi com Arduino, Pure Data, enfatizando as múltiplas possibilidades de criação de novas interfaces para os Jogos Digitais.

O vídeo abaixo mostra uma visita virtual às instalações interativas desenvolvidas no projeto “Toque para Mover Sentidos“, na escola Oikabum! de Salvador.

Foi uma ótima oportunidade para conhecer os projetos que os alunos estão desenvolvendo assim como a bela iniciativa do estúdio Atomic Rocket. Na ocasião estavam presentes os colegas Vinícius Cassol e Eliane Schlemmer. Gracias gente!